Notícias

“Caminhando com Anchieta” chega à metade

DSC_3918Milhares de pessoas já participaram das celebrações e eventos propostos pelo projeto Caminhando com Anchieta. A primeira parte, após passar por todas as paróquias de São Sebastião e Ilhabela, a imagem e bandeira de São José de Anchieta se despediram em missa solene na cidade de São Sebastião, presidida pelo bispo diocesano Dom José Carlos Chacorowski,  reunindo centenas de fiéis. Na próxima semana, a imagem chega  à Catedral da Diocese, em Caraguatatuba, onde será também inaugurado o primeiro Marco da Paz.

Diocese de Caraguatatuba – Com o aniversário dos 15 anos de criação da Diocese de Caraguatatuba, em maio deste ano, e a canonização de São José de Anchieta, a igreja católica local decidiu criar um evento que pudesse despertar nos fiéis e em todas as pessoas da região, a devoção ao santo que caminhou por praias da região, e historicamente foi o grande articulador para do conhecido tratado de Paz de Iperoig, em 14 de setembro de 1563.

Desta forma, lançou em 9 de junho deste ano a Peregrinação e Evangelização para a Paz. Uma comissão composta por padres e leigos e leigas acompanha a peregrinação que percorre com a imagem e uma bandeira, criada para o evento, todas as 17 paróquias do litoral norte Paulista, incentivando assim a devoção ao santo. Segundo Pe. Andre Ouriques, coordenador da Comissão a intenção, este ano, é de apresentar ao povo o que pretende ser uma verdadeira Peregrinação que percorra os caminhos, praias e estradas, desde a cidade de São Sebastião, em Boiçucanga, até a cidade de Ubatuba.

Para o próximo ano, as 17 paróquias deverão compor o trajeto oficial da caminhada. Para isso, e como marco, cada uma delas deve construir o “Marco da Paz”, para que assim este tema seja abordado e lembrado por quem percorrer o caminho.

O primeiro Marco da Paz a ser inaugurado será o Catedral Divino Espírito Santo, na cidade de Caraguatatuba, no próximo dia 24 de agosto, às 19h30, sendo inaugurado pelo bispo diocesano Dom José Carlos Chacorowski.

A peregrinação da imagem e bandeira prosseguem pelo Litoral Norte paulista até o dia 1 de Novembro, quando em Ubatuba, acontece um grande evento, durante todo o dia, na Avenida da Praia de Iperoig. Na programação, uma caminhada pela Paz, apresentações musicais, stand de fotos da Peregrinação, Missa campal e show com a Banda Comunidade Shalon. Durante a mesma semana, no dia 26 de outubro, será inaugurado o segundo Marco da Paz juntamente com as novas imagens de São José de Anchieta que estão sendo restauradas com o apoio da Prefeitura Municipal da cidade.

Marco da Paz – “Cada dia mais tem que haver seres humanos lembrando a importância da paz entre nós”, afirma o criador do Marco da Paz, Gaetano Brancati Luigi, italiano radicado no Brasil que ainda se emociona com o reconhecimento das pessoas por seu monumento, em formato de arco feito em concreto, que abriga um sino (de um metro de diâmetro e 500 kg de peso) e uma pomba da paz pousada sobre ele, ambos de bronze, além de cinco placas de bronze com mapa, que simbolizam cada um dos cinco continentes da Terra. A obra, replicada em várias localidades, lembra a todos sobre a necessidade da manutenção da paz e a promessa de um mundo melhor para as novas gerações. Idealizado há dez anos, o Marco da Paz ganhou sua 10ª instalação no dia 13 de dezembro, erguido em Punta del Leste, no Uruguai. Os demais estão espalhados pelo mundo, disseminando o ideal de paz sonhado pelo italiano.

O sonho vinha sendo alimentado desde a infância difícil de Luigi, vivida em meio à Segunda Guerra Mundial (1939 – 1945), quando viu de perto a fome e todas as formas de ameaças. Já adulto, e após algumas idas e vindas ao Brasil, em seu retorno definitivo ao país, Luigi sentiu falta das badaladas do sino da Igreja do Beato José de Anchieta, no Pátio do Colégio, em São Paulo, e resolveu questionar o padre José Fernandes, então responsável pela paróquia. Ele lhe contou que o sino havia sido roubado há mais de 15 anos. O italiano procurou então a parceria da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) – na época, presidida por Alencar Burti – e da Fundição de Sinos Crespi, conseguindo, em apenas 20 dias, que um novo sino fosse instalado na igreja.

No momento em que a peça era colocada, o reflexo do sol que bateu no sino fez surgir para Luigi aquilo que ele idealizou a vida inteira. Surgiu-lhe a imagem do que seria o Marco da Paz, com todos os seus símbolos e significados. A pomba, representando a anunciação; o sino, a música da paz dos anjos; o arco, a vida; e os continentes, a fraternidade entre os povos. Luigi desenhou em um papel essa imagem e o amigo Pedro Mascagni Blondi fez a planta para a construção do monumento.

O Pátio do Colégio inaugurou o primeiro Marco da Paz no dia 25 de dezembro de 2000. Mas a vontade de fazer algo que inspirasse paz a todas as pessoas já estava na cabeça de Luigi desde os cinco anos de idade, quando ouviu os sinos das igrejas europeias repicando alegremente para anunciar o fim da Segunda Guerra Mundial. O Santuário Nacional de Aparecida inaugurou o Marco da Paz em 21 de setembro de 2007.

O monumento existe no Brasil, nas cidades de São Paulo, no pateo do Collegio, nos bairros da Lapa e Taubaté e ainda na cidade de Bertioga.

No exterior, podemos encontra-lo no Maxico, Argentina, Uruguai e China. Uma dezena de  projetos estão sendo construídos pelo mundo.     Assessoria Diocesana de Caraguatatuba

Tags

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.