Ações Missionárias Coronavírus Destaques Especial

Bispo de Pemba: ” É hora de nos isolarmos porque o que importa em primeiro lugar é a vida humana”

Dom Luiz Fernando Lisboa é o bispo da Diocese de Pemba, em Cabo Delgado. (Foto: Reprodução/Vatican.News)

Em mensagem enviada ao Regional Sul 1 da CNBB, Dom Luiz Fernando Lisboa, bispo de Pemba, descreve de como estão vivenciando este tempo sombrio e difícil com a chegada da epidemia de Covid-19 no norte de Moçambique.

Desde o ano de 2018, o Regional Sul 1 da CNBB, mantém uma missão ad gentes na diocese de Pemba, localizada no norte de Moçambique na África. Desde então, vários missionários já foram enviados para viver entre o povo, testemunhar a fé em Jesus Cristo, formar novos cristãos e colaborar para que eles tenham condições mais dignas de viver.

Eis o texto

Mensagem do Bispo de Pemba, Moçambique

 

Queridos familiares e amigos, irmãs e irmãos em Cristo,

Nós estamos vivendo tempos sombrios e difíceis. Muitas pessoas se colocam no lugar de Deus e vivem como pequenos deusinhos dando ordens, decidindo sobre as vidas das pessoas, especialmente sobre a vida dos mais pobres, dos mais vulneráveis. Há uma crise de humanidade, uma crise de humanidade!

“A Igreja é perita em humanidade”, disse São Paulo VI (Encíclica Populorum Progressio – sobre o Desenvolvimento do Povos de 26.03.67, nº. 13). Ontem, dia 27 de Março de 2020, vimos uma cena que jamais vamos esquecer: o Papa Francisco, sozinho, mas não solitário, porque estávamos todos e todas com ele; vimos um Homem de Deus solidário com as dores e os sofrimentos de toda a humanidade.

Ao contemplar Cristo Crucificado e ao beijar os Seus pés, beijou toda a humanidade, especialmente aqueles/as que sofrem neste momento trágico que o mundo vive, beijou os pés dos mais pobres e vulneráveis que sofrerão ainda mais neste momento por não terem as condições mínimas de isolamento: casas muito pequenas, alimentação precária, falta de medicamentos, falta de água, falta de transporte…

A Praça São Pedro estava vazia! Por quê? Porque o Papa suspendeu todas as celebrações, audiências, concentrações para evitar o contágio e a propagação do vírus. Imediatamente as Conferências Episcopais do mundo inteiro suspenderam missas, celebrações, reuniões, encontros, assembleias, sacramentos. Os sucessores dos Apóstolos (Pedro, que é o Bispo de Roma – hoje, Francisco – e todos os outros Bispos do mundo inteiro) estão unidos nesta corrente para salvar vidas. Por que é que alguns católicos teimam em ouvir outras vozes? Por que não obedecer? Cristo foi obediente até à morte e morte de Cruz! Muitos católicos colocam-se como donos da verdade. Eles até acharam bonita a celebração, gostam do Papa Francisco, mas não o obedecem. Preferem obedecer a outros senhores, infelizmente.

O mundo inteiro está a sofrer. Líderes do mundo inteiro, alguns também infectados, estão indo na mesma direcção. Existe um ou outro líder, muito poucos, que querem ir na contramão da história. Colocam-se num pedestal e vociferam contra tudo e contra todos, contra o bom senso, contra o senso comum e, sem nenhum conhecimento científico vão contra a OMS -Organização Mundial da Saúde – e ditam leis, decretos porque sua preocupação primeira é a economia e não a vida das pessoas. A economia vai sofrer sim, teremos mais problemas sociais, mas não somos só nós, é o mundo inteiro! Teremos que socorrer-nos uns aos outros. Teremos que ser criativos para sair, depois, da crise.

E a África? Aquela que foi pilhada, repartida, invadida, aquela que vive outra colonização através das multinacionais que querem a todo custo as suas riquezas. Como fica a África? A Pandemia já está em cerca de 40 dos 54 países do Continente. Os casos estão a subir em todos os países. Nosso Continente é extremamente pobre e não tem as mínimas condições de enfrentar esta Pandemia. Não temos tido muito tempo para ela (Pandemia) porque temos que lidar com a fome, a desnutrição, a cólera, a malária, as guerras, a falta de leitos nos hospitais, a falta de hospitais, entre tantas outras situações.

Aqui em Cabo Delgado, Norte de Moçambique, tivemos o Ciclone Kenneth que matou dezenas de pessoas e desalojou milhares de famílias; estamos a enfrentar uma guerra que já vitimou centenas de vidas humanas nestes dois últimos anos. Temos mais de 200 mil deslocados internos. Precisamos da solidariedade de todas as pessoas de boa vontade. Sei que muitas outras pessoas, de outros tantos lugares do mundo, também necessitam.

Por respeito a essas pessoas, por respeito a Cristo que sofre nessas pessoas, não sejamos cegos, não endeusemos líder cego que pensa só em si mesmo e na sua família (dele) ou que atendem somente ao mercado, à economia. É hora de nos isolarmos porque o que importa em primeiro lugar é a vida humana. E cada vida é preciosa para Deus!

Respeitemos nosso Papa Francisco e escutemos a sua mensagem. Nós não sabemos mais do que ele, não temos a sua estatura, não temos a responsabilidade que ele tem e que foi dada por Jesus. Menos prepotência e mais obediência! “Não tenhamos medo, mas coragem”, ouvimos na sua mensagem, repetindo Jesus aos discípulos.

Obrigado por me ouvir ou por ler esta mensagem. A minha bênção é muito fraquinha diante daquela bênção que recebemos ontem do Papa. Mesmo assim, ouso abençoar a cada um, a cada uma: que Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós e do mundo inteiro. Abençoe-vos Deus Todo misericordioso, em Nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Pemba, 28 de Março de 2020

Dom Luiz Fernando Lisboa, cp
Bispo de Pemba

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.