Artigos

Atingidos pela experiência redentora de Cristo

 

Quaresma é tempo especial de parar, de entrar no silêncio de nosso coração, para vermos com clareza o que é essencial em nossa caminhada cristã.

Mais uma vez Deus nos dá a oportunidade para uma revisão profunda de nossa vida, para uma nova arrancada, para uma verdadeira conversão do coração, enfim, para sermos atingidos pela experiência redentora de Jesus Cristo.

Só pela oração e pela luz do Espírito Santo, seremos capazes de escolher o que é melhor para agradar a Deus e para sermos livres e felizes. A Quaresma é um período de esforço especial em nosso caminho espiritual. Para bem assumirmos esse caminho é necessário ouvir a voz de Deus e amá-Lo sobre todas as coisas.

Deus não impõe nada. Ele propõe, pois respeita a nossa liberdade e a nossa escolha. Jesus sempre dizia: “se queres seguir-me, se queres ser meu discípulo, toma a tua cruz…”

Quem dera que durante a Quaresma ouvíssemos a voz do Senhor, que nos convida a sermos fiéis a seus mandamentos, tidos não como obstáculo, mas como sinais indicando o caminho, como luz para facilitar o percurso de nossa peregrinação na fé e na esperança.

Amar a Deus verdadeiramente é ouvir solicitamente a sua voz,a sua palavra, conhecer e viver segundo Sua vontade. Com efeito, “Se alguém me ama, guardará a minha palavra… Quem não me ama, não guarda as minhas palavras” (Jo 14, 23-24).

Cada novo dia é preciso escolher o caminho a ser percorrido. O melhor é aquele que nos leva diretamente ao coração de Deus, o melhor lugar para aprendermos a ser fiéis à sua Vontade, para renovar a nossa decisão de fidelidade incondicional ao Deus que nos enche de sua vida e de seu amor.

Os exercícios quaresmais nos ajudem a fazer escolhas acertadas nas coisas pequenas e grandes da vida. Tenhamos a ousadia de renunciar a tudo o que nos impede de viver os desígnios de Deus em nossa vida e nos caminhos de nossa missão.

O valor do nosso amanhã depende da qualidade do nosso hoje. Melhorar a qualidade de nosso amor a Deus e ao próximo seja o maior desafio desta Quaresma.

Não é fácil ser fiel aos compromissos cristãos na vida cotidiana, deixar espaço ao silêncio interior e à oração. Grande é a tentação de colocar de lado o que a liturgia quaresmal propõe para uma preparação eficaz para a Páscoa do Senhor.

Cada ano, o Senhor convida-nos a nos prepararmos para as festas pascais com o coração purificado, entregues à oração mais assídua e à prática da caridade fraterna, intensificando a vivência dos sacramentos, libertando-nos do egoísmo e de outras paixões desordenadas.

O jejum e a abstinência que praticamos, quebrando nosso orgulho, são convites a imitarmos a misericórdia divina e a partilharmos nosso pão com os mais necessitados. Pela penitência ainda, o Senhor quer corrigir nossas más inclinações, elevar nossos sentimentos, frutificar nosso espírito fraterno e garantir-nos a recompensa eterna.

Enfim, a liturgia quaresmal recomenda que nos aproximemos do sacramento da reconciliação, pois, através deste sacramento, pelo poder do Espírito Santo, o Senhor estabeleceu para a Igreja, santa e pecadora, uma segunda tábua de salvação depois do batismo. Converter-se e crer no Evangelho leva-nos a viver como filhas e filhos da luz.

Por Dom Nelson Westrupp, scj, Bispo Diocesano de Santo André

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para comentar

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.