Destaques Notícias

Alunos da UNIFESP homenageiam Dom Helder

Dom Helder é lembrado como Patrono dos Direitos Humanos e Injustiçados. (Reprodução)

O Servo de Deus dom Helder Câmara (1909-1999) foi homenageado pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Além de dom Helder, outras duas personalidades, como Mahatma Gandhi e Nelson Mandela foram homenageadas pela fundação.

Neste ano, comemora-se 110 anos do nascimento de dom Helder Camara, 150 anos do nascimento de Mahatma Gandhi e 100 anos de Nelson Mandela. Para celebrar as datas, a UNIFESP, em parceria com o Consulado Geral da Índia em São Paulo,  Centro Cultural Swami Vivekananda, o Consolado Geral da África do Sul e a Universidade Cruzeiro do Sul, promoveram um evento acadêmico, intulado “150 anos de Humanismo e não violência- reflexões sobre os legados de Mahatma Gandhi, Dom Helder Câmara e Nelson Mandela”.

O evento foi realizado no campus de Guarulhos da a Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH), da UNIFESP.

Com um publico atento e uma boa participação e cooperação entre alunos, professores e funcionários, a discussão ficou em torno do humanismo, através do diálogo com o legado desses três homens e suas trajetórias que se entrelaçam. O evento também contou com a presença dos cônsules da India e da África do Sul.

“A partir da experiência que tive na Índia, eu e 35 pessoas do nosso campus organizamos este evento em torno dos legados destes três grandes homens. Em tempos tão difíceis e que a educação está sendo tão duramente atingida, lembrar do nosso Humanismo é  um caminho de fortalecimento”, salientou a professora do departamento de História da Universidade Federal de São Paulo, Patrícia Teixeira.

(Crédito da foto: Unifesp)

O evento, realizado nesta segunda-feira (9), foi resultado do esforço de alunos, professores do Programa de Pós Graduação e Departamento de História,  Departamento de História  da Arte,  Direção da EFLCH UNIFESP, Universidade Cruzeiro do Sul, funcionários, núcleos, laboratório de pesquisa, departamentos e instituições  que se envolveram profundamente com o tema.

Ainda de acordo com a professora Patricia Teixeira Santos ,  o evento teve por objetivo convidar os alunos na reflexão de determinada estrada de construção de reflexão social e ação coletiva no sentido da inclusão da diversidade humana e na busca do equilíbrio do respeito individual e coletivo.

A professora pontuou que hoje o enfoque é  dado  à perspectiva da não violência consigo mesmo e no coletivo, percebida e vivenciada por Mahatma Gandhi no contexto das lutas anticoloniais e posteriormente de libertação da Índia e da África do Sul,  ali já desenvolvida por Nelson Mandela e o Congresso Nacional Africano, que junto com o povo Sul africano, superaram o regime de segregação racial conhecido como Apartheid.

Dom Helder Câmara atuou, em especial, pela promoção e respeito ao ser humano, conjugando essa realidade às reflexões da Igreja. Tinha grande conhecimento e sensibilidade pela diversidade cultural e social brasileiras,  transformando-as num dos focos centrais da sua atuação pastoral e social, atuou fortemente pela promoção dos direitos humanos  denunciando e promovendo ações contra exclusão social e denunciando o arbítrio do regime militar implantado no Brasil a partir de 1964. Dom Hélder Câmara promoveu a criação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), e do Conselho Episcopal Latino Americano (CELAM). O bispo também participou do Concílio Ecumênico Vaticano II (1958-1962) .

 

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.