Comissões Episcopais Pastorais

Aconteceu a Assembleia Regional da Animação Vocacional

15084_778528635491617_1838268527_reduzidaCerca de 90 agentes do Serviço de Animação Vocacional e Pastoral Vocacional do Regional Sul 1 da CNBB, participaram, entre os dias 12 a 14 de março da “Assembleia da Animação Vocacional”, no Santuário de Schöenstatt de Atibaia (SP).  Na ocasião, além do bispo de Bragança Paulista e referencial desta Pastoral, dom Sérgio Colombo, também estavam presentes o coordenador estadual padre Eduardo Meschiatti, além dos diversos representantes das sub-regiões pastorais.

A assembleia teve como tema “Vocação: juventude e projeto de vida”, com a assessoria do padre Valdecir Ferreira da Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada.

E como o tema é “Vocação: juventude e projeto de vida”, nada mais apropriado do que conhecer a realidade da juventude, o assessor, padre Valdecir, durante sua exposição, indagou aos presentes: “E hoje? Como está a situação da juventude frente às diversas realidades da atualidade?”, perguntou o assessor. Segundo ele, precisamos amadurecer a presença junto à juventude. A mídia não transmite uma referência positiva dos consagrados: “A vocação se revela na alegria, no testemunho. Pouca resposta se encontra na realidade que temos. Hoje há uma crise de falta de paradigmas, de referências e de profundidade na execução das estratégias pastorais. Ele lembrou ainda que estamos vivendo uma crise de identidade cristã. “Menos jovens que participam da vida sacramental da igreja. Menos jovens se ingressando na vida sacerdotal e religiosa. Vamos fazendo um processo de interesse da juventude.  Não deixemos desamparada a juventude se veio até nós é por que quer algo. Cada vez menos se desenvolve um sentimento de pertença à comunidade que por sinal é uma comunidade vocacional”, disse.

Sobre o Projeto Pessoal de Vida, o assessor explicou, que é “uma proposta que vai ajudar as pessoas a projetar a sua vida a partir do projeto de Deus. Projeto vem da raiz latina pro-ec-tus e significa lançado para frente. Desde que nascemos somos lançados para frente.  Não fomos criados para ir para trás ou ficar estagnados”. explicou padre Valdecir, assessor.

Pe. Valdecir apresentou ainda uma panorâmica do trabalho vocacional. Segundo o assessor, falta integração entre as pastorais. “Na verdade para nós do Brasil é chamada pastoral orgânica, transpastoralidade, um compromisso que se estabelece entre as pastorais. É preciso não somente uma integração é preciso fazer uma transpastoralidade. São situações pontuais. Ficamos presos como se fosse um trabalho pontual. Precisamos criar uma transpastoralidade a ponto de que as pessoas sintam-se identificadas, responsáveis. É necessário resgatar nossa identidade como cristãos”, alertou o assessor.

“O acompanhamento aos jovens dever ser feito num olhar pautado na atenção e sensibilidade. É necessário superar uma cultura tradicionalista. Em muitos lugares mudamos o nome, mas os trabalhos continuam os mesmos. Às vezes ficamos muito apegados a criar uma identidade sendo que os trabalhos estão em nossa frente. Nós em boa parte de nossos trabalho realizamos encontros para jovens. Realizamos encontros para jovens ou de jovens incluindo-os na preparação? Se for encontros para jovens vamos despejar conteúdos, a dinâmica juvenil supõe uma ação conjunta. Quando formos realizar encontro seria interessante convidar jovens para ajuda na dinâmica do encontro. Elemento do PPV. É preciso levar a juventude a fazer experiência de Deus. Precisamos cativar a juventude. Aí, então levaremos os jovens a viver o testemunho assumindo as propostas novas”, comentou padre Valdecir.

Quanto às propostas levantadas, o assessor destacou as situações necessárias e imediatas do trabalho vocacional junto à juventude. Sendo elas: aproximação da juventude: O maior número de juventude. O tempo urge um diálogo com a juventude, diálogo vocacional; precisamos ter um SAV que pense num trabalho de diálogo agora. O que é juventude? É algo que movimenta, desinstala. É preciso estar dispostos a sofrer mudanças e desinstalar em nossas vidas; Que a animação vocacional não seja só um momento, uma necessidade da igreja, mas que seja pastoralidade.

Para dom Sérgio Colombo, o encontro foi positivo e de alto nível, enriquecedor e, principalmente, esclarecedor. “O padre Valdeir nos deu elementos para podermos bem trabalhar nas paróquias, dioceses, grupos vocacionais, grupos de jovens. Que o nosso testemunho seja alegre, assim como o Papa nos apresenta em sua Encíclica; que o trabalho do SAV-PV tenha sempre espaço; que a nossa alegria, convicção seja de entusiasmo”, declarou o bispo.

Ainda foi anunciado a realização do I Simpósio Vocacional, que será realizado, entre os dias 6 a 8 de março de 2015, em Atibaia (SP).

A assembleia contou com representantes de todas as oito (Aparecida, Botucatu, Campinas, Ribeirão Preto I e II; São Paulo I e II, Sorocaba) sub-regiões Pastorais.

 

 

Palavra do Presidente

NOVO ESTATUTO DA CNBB

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.