Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp

O coração de nossa fé é a páscoa do Senhor, mistério de comunhão, de solidariedade e de vida. Em Cristo Deus entrou em comunhão conosco e solidarizou-se com a nossa condição, assumindo todas as dimensões de nossa pobre existência até o extremo de deixar-se  tomar pelas nossas dores e pelos nossos pecados.
O pecado que nos desfigura por dentro, mais as dores que o pecado gera na história, caíram sobre o corpo e sobre a alma de Jesus. Misturado ao pó de nossa miséria – ao morrer no abandono, sobre a cruz dos desesperados -, Jesus, em um ato supremo de liberdade, entregou-se ao Pai e mergulhou definitivamente em seu mistério, arrastando consigo a humanidade inteira. Sua ressurreição foi a plena manifestação de que a cruz foi de fato a grande vitória sobre o pecado e sobre a morte. Tendo Ele assumido nossas dores – todas – e nossos pecados, abriu-nos, por isso mesmo, os caminhos para a Vida.
De agora em diante toda experiência humana, por mais dolorosa que seja, pode ser vivida como caminho, pois o Senhor a assumiu na sua paixão e morte e a transfigurou pela sua ressurreição gloriosa. No coração de toda experiência humana mora a semente da vida.
O grão de trigo caiu na terra de nossa existência, aninhou-se no coração de nossa dor e, ao morrer, germinou como plenitude de vida. A páscoa de Jesus é a nossa páscoa. Batizados no seu mistério estamos destinados à Plenitude da vida. Basta fazer seu caminho: dar a vida, ser grão de trigo que aceita cair na terra e morrer no amor. Feliz Páscoa, meu irmão e minha irmã! Não se isole, entre em comunhão e viva na solidariedade.
A todos uma Santa Páscoa!
Por Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, Arcebispo de Sorocaba