Destaques Do Regional Notas

Regional Sul 1 envia Nota de Condolências pela morte de dom Moacyr Grechi

Assinada pela presidência do Regional Sul 1 da CNBB, foi divulgada nesta terça-feira, 18 de junho, Nota de pesar pelo falecimento do arcebispo emérito de Porto Velho, Dom Moacyr Grecchi

O arcebispo emérito de Porto Velho (RO), Dom Moacyr Grechi faleceu na tarde desta segunda-feira (17), aos 83 anos, na capital do Estado de Rondônia.

Dom Moacyr foi um grande expoente na criação das Comunidades Eclesiais de Base e no apoio aos movimentos sociais. Foi um dos criadores do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e da Comissão Pastoral da Terra (CPT), sendo seu presidente por oito anos.

O Regional Sul 1 da CNBB, por meio de sua Presidência, enviou Nota de Condolências pelo falecimento de dom Moacyr ao Arcebispo de Porto Velho, Rondônia, Dom Roque Paloschi.

No texto, dom Moacyr é lembrado como “um verdadeiro missionário da Amazônia, um profeta e bom pastor”.

Veja abaixo, a nota na íntegra:

GRATIDÃO A DOM MOACYR CRECCHI

Em nome dos bispos do Regional Sul 1 da CNBB, apresentamos a Dom Roque Paloschi, Arcebispo de Porto Velho, Rondônia, aos membros da Ordem dos Servos de Maria, aos familiares e aos amigos de Dom Moacyr Grecchi, profundos sentimentos de condolências pelo seu falecimento, no dia 17 de junho, aos 83 anos, em Porto Velho, onde era Arcebispo Emérito.

Nascido aos 19 de janeiro de 1936, em Turvo, SC, Dom Moacyr foi ordenado presbítero da Ordem dos Servos de Maria, aos 29 de junho de 1961. Em 1972, foi nomeado prelado do Acre e Purus, cargo que exerceu um ano como presbítero, tendo sido ordenado bispo aos 21 de outubro de 1973. Ao ser erigida a Diocese de Rio Branco, em 1986, foi nomeado seu bispo. Em 29 de julho de 1998, foi nomeado Arcebispo de Porto Velho, cargo que exerceu até se tornar emérito aos 30 de novembro de 2011.

Dom Moacyr foi um grande expoente na criação das Comunidades Eclesiais de Base e no apoio aos movimentos sociais. Foi um dos criadores do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) e da Comissão Pastoral da Terra (CPT), sendo seu presidente por oito anos.

Homem sereno, destemido, inteligente e de grande espiritualidade, enfrentou perseguição por defender os pobres. Seringueiros, povos indígenas, pequenos agricultores e os excluídos da sociedade sempre tiveram em Dom Moacyr um grande defensor. As vítimas das injustiças sociais e da violência, na floresta e nas periferias das cidades sabiam que podiam contar com sua solidariedade.

A Igreja Católica se despede de um grande bispo, um verdadeiro missionário da Amazônia, um profeta e bom pastor. Rendemos graças a Deus por sua vida, sua consagração a Deus e seu profícuo ministério sacerdotal e episcopal.

Pela intercessão da Santíssima Virgem Maria, de quem Dom Moacyr era devoto, Cristo ressuscitado o acolha e console seus familiares e amigos.

Fraternalmente,

Dom Pedro Luiz Stringhini
Bispo de Mogi das Cruzes (SP)
Presidente

Dom Edmilson Amador Caetano
Bispo de Guarulhos (SP)
Vice-presidente

Dom Luiz Carlos Dias
Bispo Auxiliar de São Paulo (SP)
Secretário

São Paulo, 18 de junho de 2019

 

 

 

 

Palavra do Presidente

Facebook

Assine nossa newsletter

Conheça nossos parceiros.